429 - SOBRE A SABEDORIA DE MEU PAI

Meu pai foi embora há exatos tres anos...
Mas ainda estou a ouvir a voz do meu bom e velho amigo. Agora não mais da janela do seu quartinho, onde sempre ele esperava a próxima brisa benfazeja.
O cenário é outro, porém ainda sua sabedoria paira no ar.
Quando a sua voz calou para sempre, seu coração seguiu falando. Ainda posso ouví-lo com os ouvidos da saudade:
A vida é uma tentativa, às vezes bem sucedida, de se driblar a morte. Tentei de todas as maneiras me manter em pé. Tal como o anjo torto do Garrincha, meu jogador predileto, driblei-a várias vezes...
Mas agora que chegou o momento do acerto final, não vou temer a morte. Sempre tive com ela uma relação de boa vizinhança. Dela escapei várias vezes, dela ri para valer, com ela aprendi sempre.
Também tratei sempre de inventar esperanças para fazer valer minha passagem por aqui. E valeu! A vida é boa demais...
Recebo sua irmã gemea, a morte, como presente. Diz o sábio: " há tempo de nascer e tempo de morrer..."
Ainda mais que ela me veio de forma branda...! Como eu mesmo queria... Razão pela qual deixo um verso de Tagore para os que continuam a viagem:
"No dia em que a morte bater à tua porta
que lhe oferecerás?
Porei diante de minha hóspede
o vaso cheio de minha vida.
Não a deixarei ir de mãos vazias... "
Nunca disse "Adeus" a meu pai, pois ele nos ficou encantado para sempre...
Por isso mesmo prossigo cantando nossa toada predileta " A tua saudade corta como aço de navaia".

26 comentários:

sergio disse...

Nossa... que privilégio ser o primeiro a comentar..rsrsrs... CARLOS ALBERTO, SEJA BEM VINDO NO MUNDO DA BLOGOSFERA! ABRAÇO E TUDO DE BOM... SUCESSO!

Mario disse...

Grande Carlos Alberto, parabéns! Garanto que com um blog desses, vais fazer sucesso! Vou acompanhá-lo no dia-a-dia. Parabéns!
Mario

lane disse...

falar de adeus dessa maneira, só coisa de mestre mesmo!!parabéns!!
bem vindo ao blog mundo!!!abraço!!

Anônimo disse...

Que linda homenagem! O seu texto de abertura do blog apresenta como você é. Grande abraço!
Rita

Everson Russo disse...

Bom dia amigo,chego aqui por indicação do meu Mestre e Irmão Sergio, e encontro mais um espaço sensacional de otima leitura na blogosfera, parabens, e falar de adeus é uma coisa dolorida, que deixa marcas, mas enfim é a nossa unica certeza na passagem nesse planetinha louco...forte abraço meu novo amigo, seja bem vindo e uma otima terça pra ti...

Bandys disse...

Vim por indicação do Serfio. Gostei muito.
BJS

carlos alberto disse...

Valeu Sérgio.Para quem não sabe, o Serginho é o nosso guru web site.
Mário:Tamo na mesma estrada há anos.Valeu. e o seu blog? agora é hora de reativá-lo
Iane:Me convide para o bolo. Se precisar, também façoa celebração...Religiosa e civil. você está em boa companhia.
Rita: Obrigado.!!!que dizer da melhor secretária dos conselhos de educação do Brasil???
Everson: Obrigado pelo apoio.sua fala é minha fala também. Só entende de adeus quem já disse adeus! Obrigado!
Bandys: God bless you...Vamos nos ver mais em nosso compartilhar...

Giovani disse...

Grande paizão! Homenagem ao Zitão que continua com a gente, contagiando com a alegria de sempre. Cada dia que a gente passsa junto, seja na Pizza Hut seja no jogo de futebol,a nossa alegria celebra o vô.
Te amo paizão

Carlos Alberto disse...

Filho amado Giovani:
Vô Zito é mais que Elvis Presley...Se élvis não morreu, por que o vô zito iria morrer?...

Anônimo disse...

www.fonteamor.com ...Estou aqui atravez do blog do Sergio espero fazer parte de suas amizades , bélissima postagem seja bem vindo ao meu cantinho também beijos ,Evanir.

Carlos Alberto disse...

Evanir:
Já que a vida é caminhada, o que importa é não estar sozinho.
Vamos apareciar juntos as paisagens que se fizerem presentes.
Grandea braço

Anônimo disse...

Meu pai queria muito acessar seu blog e eu acabei de ensiná-lo como fazer. Gostamos Muito!
Um abraço
Edmar e Filho

Reginaldo Nunes Ferreira disse...

Carlos,

Parabéns pelo seu BLOG, neste primeiro texto, você nos deu a oportunidade de conhecer um pouquinho do pensamento do seu bom e velho amigo, que sempre viveu em você, e ai continuará vivo, como percebemos na arte e beleza desse texto.

Somos mais sensíveis a poesia nos momentos mais intensos que vivemos, sobretudo os momentos difíceis da vida, para os iluminados lhes é possível captar de um modo particular a emoção, e isso se eterniza na sensibilidade de quem lê.

Obrigado pelo texto, parabéns pra vocês dois.

Estou indicando seu BLOG para os amigos.

Grande abraço (estamos por perto,

Reginaldo
27.08.08


Escreva +

carlos alberto disse...

Prezado Reginaldo:
Obrigado pela amizade e pela cumplicidade de nosso compadrio.
Grande abraço

CERIMONIAL ZACLIS SIMIONATO disse...

Amigo querido, o poeta que leva palavras de carinho e conforto, alegria e humanidade, pouco a dizer mas muito a agradecer.

Luciana disse...

Amor, te amo muito e você sabe disso... nossos dois filhos são a confirmação do nosso grande amor. Lu

Carlos Alberto disse...

Querida:Sem você eu não teria a inspiração para nada.Te amo e aos nossos queridos Giulia, Kauan e Giovani. Beijos

Archimedes maranhão disse...

Há pessoas que induzem admiração e amizade.
Outras há que sem nenhum desses artifícios,são amigas cuja alegria da presença cotidiana, inspiram a satisfação da comunhão.
Gosto de ouvi-lo falar porque você fala como o poeta irreverente, mas que sabe,
canta as canções de inspirados cantores. você meu caro Carlos Alberto, é na minmha caminhada como os andantes de Emaus, falando de uma amizade perene.

carlos alberto disse...

Obrigado bom e velho amigo

Nico e Adriana disse...

Grande Carlos!
Recebí do pai a notícia sobre seu blog. Entrei, li e gostei!
Sempre passando belas mensagens a quem está disposto a ouvir. O mundo carece mesmo de professores que professem as belezas do mundo, mesmo que elas, se transmitam a partir das tristezas. Cabe aos ditos "sem luz", ouvir, aproveitar e dedicar tempo para pensar na vida e nas suas possibilidades e consequências. Afinal que seriamos na vida se só alegrias tivéssemos?

Abraço, com estima e agradecimentos, Nico e Adri.

Antônio João e Ruth Mânfio disse...

Amigo Carlos
Queremos partilhar contigo o sentimento de testemunhar o derradeiro confronto entre "duas irmãs" que se sucedem no exercício de estranha hegemonia, tendo sido o teu amável progenitor o fornecedor das armas a ambas. Ele, em sua sabedoria de homem benvivido, soube mostrar também como se morre. Desse modo, viveu integralmente também a morte.
E, você, seu bom filho, extrai dessa fantástica epopéia tanto as raízes que ele afundou no solo da vida quanto as manhas da "irmã" matreira que se justapôs na sucessão do tempo efêmero. Você nos brinda, em sua poesia indormida com o troféu da vitória da eternidade sobre a fugacidade.
Receba nossos cumprimentos por ter um pai que soube viver. A ele, a astúcia da morte foi incapaz de molestar, apenas o liberou para a eternidade.
Receba nosso abraço fraterno, com quem compartilhamos a singeleza da amizade que eterniza o relacionamento. Mânfio e Ruth

Carlos Alberto disse...

Obrigado Manfio, Rute, Nico e amada:
A presença de amigos como vocês ajudam a dividir as crises e as cruzes da caminhada. Deus lhes abençoe

Neusa disse...

Olá! Cheguei aqui através da indicação do amigo sérgio. Teu blog é muito bom. Gostei demais. Seja bem vindo. Desejo um lindo final de semana. Beijos

djalma filho disse...

Carlos Alberto, irmão querido.
Uma morte é sempre triste. Venha ela na aurora ou crepúsculo.
Amigo, você não nega sua tristeza; tampouco briga com ela.
Com sua sensibilidade você apenas a preenche de poesia.
Abraços
Djalma

Luiz Antonio disse...

Parabéns Carlos, maravilhosa homenagem.

Gostaria de dizer que:
a consciência da morte nos capacita viver cada momento de nossas vidas com apreciação pela oportunidade única que temos em criar algo em nosso período na Terra. Eu acredito que para desfrutarmos da verdadeira felicidade, devemos ser capazes de vivermos cada instante como se este fosse o último. O hoje nunca retornará. Nós podemos falar sobre o passado ou o futuro, mas a única realidade que temos é o presente momento. E o ato de confrontarmos com a realidade da morte nós fortalece a evidenciar a coragem, alegria e a criatividade ilimitada em cada um destes instantes.
Segundo Freud (1916), "O luto, de modo geral, é a reação à perda de um ente querido, à perda de alguma abstração que ocupou o lugar de um ente querido, como o país, a liberdade ou o ideal de alguém, e assim por diante." E segue dizendo que o luto normal é um processo longo e doloroso, que acaba por resolver-se por si só, quando o enlutado encontra objetos de substituição para o que foi perdido.
O luto pela perda de uma pessoa amada é a experiência mais universal e, ao mesmo tempo, mais desorganizadora e assustadora que vive o ser humano. O sentido dado à vida é repensado, as relações são refeitas a partir de uma avaliação de seu significado, a identidade pessoal se transforma. Nada mais é como costumava ser. E ainda assim há vida no luto, há esperança de transformação, de recomeço. Porque há um tempo de chegar e um tempo de partir, a vida é feita de pequenos e grandes lutos, através dos quais, o ser humano se dá conta de sua condição de ser mortal.

Um grande abraço Luiz,Bia e Luiza.

Luiz Antonio Corrêa disse...

Que lindo falar de didática como arte.
A didática é próprio professor, ser ele mesmo, transparente, verdadeiro. A subjetividade no encantamento pelo mestre é acreditar que ele é.........
Parabéns pelo tema.