XII - SOBRE A PAZ SONHADA

A esta hora exatamente
Em que acordos de paz são incapazes da paz,
Existe em algum canto, num casebre distante,
Uma pintura pobre, mas rica, que diz:
“Lar Feliz”!

A esta hora exatamente
Em que os imperadores insensíveis
Dizem, insanamente, que a guerra é santa,
Existe em algum lugar do planeta
Um poeta que profere um poema
Na praça com o povo.

A esta hora exatamente,
Quando paira no ar um presságio de pavor,
Existe alguém persistente que protesta:
“Até quando Senhor”?

A esta hora exatamente
Quando as estrelas atômicas
Profanam o céu do Senhor,
Existe em alguma várzea poluída
Um menino que empina uma pipa
com a pomba-da-paz.

A esta hora exatamente
Em que sobe da terra o sangue-dos-silenciados
Existe um velhinho que planta em seu novo jardim
uma, duas, três rosas com amor.

A esta hora exatamente
Em que o berro estridente e infernal
Exalta o holocausto
Existe uma criança nascendo
Trazendo e fazendo o futuro...

Senhor:
Que teus pequenos sinais de vida
Enfraqueçam as grandes pretensões da morte
E que possamos cantar sob mil bandeiras brancas
A paz que traz o bem...

(Para meus alunos de teologia que são guerreiros da paz)

Nenhum comentário: