XXXII - AINDA O NATAL...

(...) Porém, o Deus que é Amor,
fez-se poesia
e, cheio de alegria,
habitou entre nós
com charme e bondade...
Vimos então novo-céu-e-nova-terra
em momentos-aqui-e-agora-repletos-de-eterna-paixão...
(...)Gestando um novo tempo,
grávidos do Espírito-que-sopra-onde-quer,
começamos a resgatar a palavra inventiva,
as brincadeiras criativas,
e curtimos com absoluta beleza
nossa provisória certeza.
A gente voltou a sorrir como jamais
e o dia amanheceu em paz...

(Para Dr. Luiz Carlos Ramos, o maior e melhor liturgista do Brasil )

Nenhum comentário: