XXVII - DONA LURDES DE PITANGA

Dona Lurdes:

Já passou o dia das mães, mas hoje, esta página é para a senhora, ainda que de forma atrasada.

É que neste sábado, depois de uma conversa de pé-de-ouvido com seu neto Fabico, peguei a viola para espantar as mágoas e me veio a inspiração de uma música de Tonico e Tinoco:

O “M” que eu trago guardado
Na palma da minha mão.
É nome de mãe gravado.
No fundo do coração.

Mamãe, mamãe, mamãe.
como eu gosto de você.
Minha mãe como falta
tua vida em meu viver.

Lembrei-me da senhora...E com carinho!
Lembrei de Dona Lourdes, como a mãe-amorosa, a mãe-prendada, a mãe-coragem!!! Símbolo da mãe brasileira!

Quem conhece sua história pode me dar razão.Que digam os habitantes de Pitanga, essa terra de mulher bonita e homem valente. Oito filhos criados, netos espalhados pelos campos afora, e bisnetos correndo pelos cantos, confirmando que valeu a pena ser como a senhora é. Sangue, suor, lágrimas e, acima de tudo, a certeza de que a vida vale a pena para quem não tem a alma pequena.

Escrevo para a senhora na qualidade de um filho postiço, que te abraça por , entre tantas coisas, ter aderido o mundo da internet, coisa que ainda não fez o professor Zé Arnaldo, nosso gaiteiro de ouro. Mas também para te agradecer por um dia ter me brindado com um inesquecível e saboroso franguinho na panela, para a inveja do Jaime e do Romildo.

Fabico, violeiro!!! Vamos lá: Pegue tua viola e cante comigo, já que teu pai é desafinado:

Vovó, vovó, como eu gosto de você
Minha vó como faz falta,
tua vida em meu vier

A tua benção dona Lourdes!

Teu filho postiço, o violeiro Carlos Alberto

PS. Está difícil conseguir levar o Alessandro para a Igreja, mas não vamos desistir. Um dia vamos conseguir.

Nenhum comentário: