XXXIX - DE UM IRMÃO SOLIDÁRIO QUE ODEIA SOLIDÃO

Preclaro coevo, ínclito coetâneo Carlos Alberto:

Li, pasmo, o último textículo, no seu possante rotativo internético. Espero que esta mensagem o encontre melhor e não dessa pra melhor.

É bom tomar cuidado com esse negócio de morrer. Até hoje, todos os que tentaram com afinco obtiveram êxito.

O melhor é fazer como o Salomão Schvartzman, que diz querer morrer só depois dos 99 e ainda por cima assassinado por um marido ciumento.

As lições deixadas pelo chato do querubim já sabemos de cor, agora só nos resta aprender...

Portanto, vivamos a vida, meu amigo de fé, irmão, camarada... maneirando nos churrascos e esbanjando nas gargalhadas.

Quando esse anjo safado voltar, saberá que só partiremos muito a contra gosto.

Pax et bonnun,

Um seu perseguidor,

L.C.R.

(Somente as iniciais do irmão-solidário foram consignadas para que seus chefes não o enquadrem na Lei de Segurança Paroquial)

Nenhum comentário: