LXXIV - SEU FELICIANO, CAMINHANTE DA PAZ

Era uma vez um renascentista chamado Michelângelo que, apesar de suas dores pintou, para sempre, os amores do mundo na Capela Cistina;

Era uma vez um músico chamado Beethoven que, apesar de ficar surdo, gravou seu nome na história como o maior dos clássicos românticos;

Era uma vez um escultor cognominado Aleijadinho que, apesar de suas anomalias crônicas, tornou-se o ícone da arte barroca no Brasil;

Era uma vez uma cantora chamada Violeta Parra que, apesar de sua tragédia, ficou imortalizada como a compositora de " Gracias a la vida...";

Era uma vez um cientista chamado Jean Jacques Costeau que, apesar de ver seu filho morrer afogado, consagrou-se como o maior de todos os oceanógrafos.

Era uma vez um caminhante-da-paz de 92 anos chamado Feliciano, que apesar de ter que amputar os dedos dos pés, entrou na nossa história por coroar o texto sagrado que diz : “ Quão formosos são os pés daqueles que anunciam as coisas boas” .

Prezado irmão Feliciano:

De todos os notáveis aqui mencionados, conheci-os apenas por lê-los. Quanto a você amigo, conheci-o por vê-lo de perto e tomar com você um leite-com-farinha. Também com você, ousei crer que não há um caminho para a paz...afinal, a Paz é o caminho.

Que o Espírito da Páscoa esteja sempre com você...!!!



Nenhum comentário: