LXXXV - PARA LUCIANA... MEU GRANDE AMOR


Já faz treze anos...Como esquecer?
“Foi assim...como ver o mar..."!

Parecia que eu já tinha te visto em algum sonho, em alguma saudade ou em alguma prece. Eu já te amava antes de te ver!


Vi no arco-da-tua-íris as cores da beleza respingadas em gotas de tristeza. Beleza de quem-sabe-sonhar-sempre, tristeza de quem sabe-que-somos-seres-de- saudade.

Teus olhos eram o espelho da minha alma. Você vinha de uma noite existencial mais escura. Eu também!

Juntamos as duas irmãs, tristeza-e-alegria, e começamos a fazer variações sobre a dor e a delícia de ser o que somos...Variações sobre a vida, a morte e a ressurreição nossas de todos os dias... "Fazia escuro" mas a gente começou a cantar pois que, amanhã, sabíamos, iria ser bom.

E de fato! Nasceram os produtos de nosso amor que, somados ao irmão mais velho puderam nos ajudar a emoldurar nossa sempre-inacabada-pintura de Lar-feliz.

Lar-feliz que continuamos construindo em meio às crises e às cruzes do cotidiano. Por isso ele é mais belo-e-mais-sincero, pois é assim podemos celebrar a verdade que diz que "ouro bom tem que passar pelo fogo".


Neste teu dia de aniversário, quero agradecer ao bom Deus, mais uma vez, ter te encontrado!

Também neste teu dia de aniversário, quero fazer ao bom Deus, mais alguns pedidos:

que os nossos abraços nunca fiquem frouxos
que os nossos beijos nunca fiquem secos
que possamos continuar-criando-criativamente nossas luas-cheias-de-amor!

E...claro! Neste teu dia de aniversário, quero te dizer mais uma vez , como se fosse a vez primeira: EU TE AMO!!!

Nenhum comentário: