101 - SOBRE O JARDIM BOTÂNICO DE CURITIBA

Da sacada de nosso apartamento ainda é possível avistar o jardim botânico, cartão postal de Curitiba

Este espaço sagrado é uma síntese entre céu e terra, uma prova de que criador e criatura podem fazer uma parceria, uma rima rica entre natura e cultura.

Escolhi-o como um dos meus templos favoritos, pois ali, dominicalmente vou ouvir o profeta da arte Frans Krajberg que, sem nenhuma palavra, mas, com a exposição permanente de seu trabalho "A Revolta” , expressa o sentimento de dor com relação à destruição sem limites provocada pelo homem nas florestas brasileiras.

Também escolhi o jardim botânico para , à moda de São Francisco, conversar com sabiás e quero-queros. Ali tenho pedido ao Senhor dos jardins para que, apesar de todas as guerras, o universo dance uma ciranda mais feliz.

Um dia desses, Ele me ouviu e me enviou um sermão que , na voz do “guardador de rebanhos", assim se fez ouvir:

Sejamos simples e calmos
Como os regatos e as árvores
E Deus amar-nos-á fazendo de nós
Belos como as árvores e os regatos,
E dar-nos-á verdor na sua primavera
E um rio aonde ir ter quando acabemos!...

Nenhum comentário: