138 - SOBRE OS PROFETAS ELETRÔNICOS


Sou religioso, mas tenho muitos problemas com a programação religiosa da TV.
Aliás, não gosto dela! É sem beleza nenhuma! É dantesca! Pertence ao rol dos “cenarius horribiles”.
Os profetas eletrônicos, com quem tenho incurável-incompatibilidade-de-gênio, usam e abusam da boa fé do nosso povo.
Aproveitam o vácuo da falta de saúde e da educação para lhe vender milagres e soluções em curto prazo.
Creio que esse tipo de religiosidade é o caminho mais longo para chegar a Deus.
Sempre peço: "Que venha o teu reino, Senhor"!
Mas não esse reino desarmônico, caótico e desequilibrado. Coisa feia dos-que-se-acham-porta-vozes-de-Deus! Acho que Deus merece coisa melhor...
Medito a religiosidade como a teologia da beleza, do riso e da ternura.
Aquela das aves dos céus e dos lírios dos campos...
Aquela das espadas transformadas em arados...
Aquela dos velhos que se tornam crianças...
O resto são versões-sílvio-santescas-da-religião...
O resto são Pequeno$ Templo$ e Grande$ negócio$.

Nenhum comentário: