152 - CAFEZINHO COM SAUDADE


Meu cardiologista me recomendou uma taça de vinho por dia.
Estou seguindo a receita sem dificuldades!
Mas amanhã, 31 de agosto, a bebida dos deuses não fará parte da minha dieta.
Tomarei apenas cafezinho.
Fiquei sabendo pela revista "Superinteressante", que o café saiu da incômoda classificação de “bebida-que-faz-mal” para receber o status de “bebida-benfeitora-da-saúde”.
Porém, não será por razões biológicas que tomarei o cafezinho.
Amanhã de manhã, antes de começar a lecionar, bem pertinho da Igreja, ao som dos sinos da catedral, tomarei um cafezinho misturado com saudade. De forma sacramental.
O pequeno príncipe diz que "
o essencial é invisível aos olhos”.
Pois bem, meu cafezinho será um sacramento em homenagem ao meu velho pai. Farei isso em memória dele.
É que amanhã, se estivesse vivo, entre um causo e outro, entre uma cantoria e um ponteio da viola, ele tomaria um cafezinho.
Amanhã ele faria 74 anos e comemoraria sua nova idade, com um cafezinho que só ele sabia fazer. Meu pai foi o verdadeiro rei do café.
Quem teve o privilégio de conhecê-lo poderá me imitar e fazer um brinde ao meu velho. Bem que ele o merece.
(Para a tia Clarice que tomou muitos cafezinhos com o Zito)

Nenhum comentário: