159 - SOBRE A HORA CERTA DE SAIR DE CENA


Existem coisas que só acabam por falta-de-fim...
É o caso de uma homilia em que o pregador não sabe como concluir. Quando ele acaba é um alívio para os fiéis.
É o caso de um político que esperamos que termine logo de falar para nossas-festivas-e-falsas-salvas-de-palmas..
Geralmente isso acontece com pessoas que pensam que quando se relampeja, é porque Deus está tirando fotos delas.
Concordo com o filósofo russo Guerdjef que incentivava seus alunos a hora certa de sair discretamente de cena, de retirar-se , com classe, do palco iluminado.
Será sempre bom desconfiarmos que somos imprescindíveis, ou que estamos sempre " abafando".
As estrelas continuam brilhando e o mundo continua girando sem a nossa atuação. Os cemitérios estão cheios de pessoas insubstituíveis.
Nesta filosofia de saber-a-hora-certa-de-deixar-a-roda, até Pelé acertou. Ficou eterno.
Não é bom que acabemos por falta de fim...

Nenhum comentário: