164 - SÃO PAULO, SANTO EINSTEIN E SANTO POVO

Quem me dera ter 10% da inteligência de Einstein...
O “ Homem do século XX ” teologizou certa vez: “ Deus não joga dados”.
Não sei muito bem o que ele quis dizer com isso, mas acho que ele estava fazendo um “ pas-de-deux” com São Paulo, de quem gostaria de ter 10% de sabedoria : “ tudo o que o homem semear, isso também ceifará”.
Sábio apóstolo que, por sua vez, comunga com o jargão do povão, de quem gostaria de ter 10% de sua praticidade: “Na natureza não existe almoço grátis”.
Se for esta a correta interpretação, ainda que penso que a vida, muitas vezes, é ilógica, quero estar de bem com esse trio que une ciência, sapiência e experiência:

"A vida é como jogar uma bola na parede:
Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
Por isso, nunca 'jogue uma bola na vida' de forma
que você não esteja pronto a recebê-la.
A vida não dá nem empresta;
não se comove nem se apieda.
Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir
aquilo que nós lhe oferecemos”. (Einstein)

Nenhum comentário: