166 - SOBRE UM "ONZE DE SETEMBRO"

  Era um onze de setembro
Nem mesmo Dante teria pintado inferno tão horrendo
Primeiro, os aviões do apocalipse
Depois , as explosões da morte
O fogaréu-do-juízo-final que se seguiu
Cessou a voz do cantor
Em seu lugar se ouviu o som e o lamento da profecia
“Era Raquel chorando por seus filhos;
não querendo ser consolada,
pois eles já não existem mais."
Mataram o poeta, o profeta e o trovador
Mataram o Salvador
Milhares morreriam depois...
Os anjos-da-morte haviam triunfado
Os "yankees" haviam hasteado suas bandeiras
Assim se desabou a arquitetura da liberdade...

Era o dia onze de setembro de 1973, o Chile-país-irmão, chorava e enterrava seus filhos...

(Para que não nos esqueçamos de nenhum holocausto na história)

Nenhum comentário: