168 - SOBRE ELIAS ABRAHÃO E O DIABO

Elias Abrahão foi a nossa versão brasileira de Martin Luther King. Educador, pastor de todos os matizes religiosos, parlamentar exemplar.
Alguns dias antes de partir, confidenciou-me decepcionado, que seu sonho era deixar a Câmara dos deputados em Brasília e voltar a pastorear Curitiba.
Essa semana amargamos os 13 anos de sua partida.
Nestes tempos em que as inquisições-sem-fogueiras parecem querer voltar, lembro-me de um episódio em que um chefão-religioso-da-reta-doutrina quis enquadrá-lo como “candidato-à-fogueira”, e lhe fez uma pergunta de encomenda na frente de um grande público “conservador” a qual ele havia conquistado. A estratégia era colocá-lo na tal da “saia-justa”.
- Reverendo, o Senhor acredita no diabo?
Resposta do Elias:
- Não acredito! A Bíblia fala que ele é o pai da mentira. Como acreditar no mentiroso?.
Enquanto muita gente ria de sua resposta inteligente fiquei pensando: Que pena que muitas Igrejas precisam que o diabo exista para elas existirem também.Tirar o diabo dessas comunidades é tirar-lhes a razão de ser.
Tenho procurado em minhas mensagens mostrar o caminho do céu, afinal o inferno está por aí e não precisa de propagandas.
Igual ao Elias, eu prefiro acreditar que Deus não tem concorrentes.

Nenhum comentário: