171 - TUDO VALE A PENA...

Há expressões que são verdadeiras filosofias-de-vida.
Não são simples bordões dos programas de TV.
São nortes-de-vida. São meios-para-mudar-nossa-realidade-dura-e-crua!

É o caso do mote dos navegadores portugueses antigos, posteriormente imortalizado por Fernando Pessoa: “ Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.
Não é uma simples retórica.
É um mantra a ser repetido, repetido, repetido, até se tornar realidade. Expressão-de-além-mares que vencia tormentas, maremotos, saudades... " Navegar é preciso, viver não é preciso"!
Coisas belas e apaixonantes tem que ser ditas-reditas-reeditadas, pois livram-nos do medo-da-morte e nos fazem viver-com-mais-razões:

  • A expressão “Eu te amo”. É tão antiga! Já a ouvimos tantas vezes, mas é tão bom ouvi-la de novo! Sem ela, nossa alma seria pequena!
  • A música “Bolero” de Ravel. Sabemos que é uma música feita das mesmas notas e compassos...Sabemos seu início, seu meio, seu final...Mas é tão bom deixarmo-nos ser envolvidos pelo repetido ritmo de amor-e-poesia!.
  • “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”. Os navegadores portugueses sabiam que dentro dessa filosofia, tantas vezes repetida , moravam sonhos, conquistas, chegadas, partidas, danças, celebrações...
Não precisamos ser neurolinguistas para entendermos. É imprescindível que repitamos nossos sonhos em forma de confissões e utopias sagradas.
Elas podem ser o principio da realidade que queremos construir.

Nenhum comentário: