185 - SOBRE OS SETE PECADOS CAPITAIS

A propósito dos 7 pecados capitais, parece-me que:

  • Tão-pecado quanto à gula (comilança-desenfreada-com-fim-em-si-mesma), é a abstinência-do-senso-de-justiça que nos impede de lutar para que todos tenham o pão na mesa;

  • Tão-pecado quanto a avareza (endeusamento-do-materialismo-como-objeto-último-da-vida), é a imprudência com a qual desperdiçamos o ganho que é fruto do nosso trabalho honesto;

  • Tão-pecado quanto a inveja (desejo-desenfreado-de-atributos-status-posse-e-habilidades de outra pessoa), é a apatia que causa em nós a ausência de sonhos;

  • Tão-pecado quanto a ira ( junção dos sentimentos de raiva, ódio e rancor incontroláveis), é o silêncio-da-indiferença que temos frente às injustiças que nos assediam-o-dia-a-dia;

  • Tão-pecado quanto a soberba ( toda-poderososa-auto-suficiência-de-alguém), é a nossa falta de dignidade ou a perda de nossa autoestima;

  • Tão-pecado quanto à luxúria (culto-existencial-ao-prazer-pelo-prazer), é nossa postura-de-homens-máquinas vivendo como bestas-feras sem ter o corpo-como-jardim-do-amor;

  • Tão-pecado quanto à preguiça (aversão a qualquer tipo de trabalho ou esforço físico), é o nosso descaso com o qual tratamos o sempre bem-vindo ócio que nos faz tão bem.

Nenhum comentário: