204 - AUTOPSICOGRAFANDO

De quando-em-vez-e-isso-é-sempre

Os arquivos-altivos da minha memória

Sem-pensamentos-sem-planejamentos

Se metamorfoseiam

Em porteiras-sem-eira-nem-beira...

É quando

Uma manada-mnemônica

Irrompe meu instante fugidio...

Mil idéias são pacíficas-e-específicas

Como carneiros pastando pastoralmente

ao som de Bach-Beethoven-ou-Belchior...

Mil idéias são que nem cavalo-doido

Possuído pela indomável rebeldia-do-vento-ao-relento...

Umas e outras, autoritariamente,

Me obrigam a fazer danças e andanças nas pautas-das-palavras...

Como filho-da-pauta fotografo

o que estou sentindo-sorrindo

o que estou vendo-sofrendo

o que estou relembrando-esperançando...


É quando

Descarto Descartes e

Parafraseando Platão, passo a psicografar:

“Não somos nós que temos as idéias

Elas, sim, é que nos tem”.

Nenhum comentário: