215 - SOBRE A AMIZADE

Instigante essa questão da amizade...
O tema está descrito nos livros sagrados.
Platão e Aristóteles também discorreram sobre o assunto.
Depois de lê-los , digo que, se me perguntam o que é amizade, eu não sei definir...Se não me perguntam o que é, aí então, eu sei.
Sei que preciso de amigos. Mas não daqueles cantados por Roberto Carlos na sua famosa canção “ eu quero ter um milhão de amigos...” Pensem comigo: Quem tem um milhão de amigos não tem nem um sequer!
Prefiro os poucos, mas leais, que já tenho...
Confesso minhas dificuldades em chamar amigos aqueles que me mandam e-mails pegajosos, com palavras-feitas, lugares-comuns...
E aqueles amigos-secretos-de-final-de-ano? Melhor nem filosofar sobre...!!!
Prefiro os que não vejo há anos, mas que, se nos encontrarmos amanhã, parecerá que foi ontem nosso último brinde. São amigos que não aguardam datas comemorativas para nos presentear e serem presenteados. São um pouco-heróis, um pouco-bandidos...Sabem a " dor e a delícia de ser o que somos".
Desses amigos cantou Milton Nascimento : “Qualquer dia, amigo, eu volto a te encontrar...”
Esses sim, são pessoas que passam pela vida da gente, imprimem-nos uma marca deles em nós e pegam para eles um pouco do que somos nós.
O resto, só a história contará pois que, como diz a sabedoria dos Provérbios “ Em todo tempo ama o amigo e na angústia nasce o irmão”.

Nenhum comentário: