234- NATAL TUPINIQUIM

Nestes tempos de quase-natal adotei uma liturgia não-ortodoxa.
Estou fugindo dos shoppings-cheios e dos amigos secretos. Optei pelo aconchego-larário para ler os poetas, os profetas e para contar mais histórias pro Kauan e pra Giulia.
Também estou fugindo das insuportáveis-musiquinhas-de-harpinhas-do-comércio.Tratei de tirar minha viola do saco e comecei a ensaiar o trenzinho do caipira.
Quanto à ceia natalina, vou dispensar as comilanças típicas da ocasião.
Já encomendei um feijãozinho com torresmo, um bolo de fubá e um bom café-torrado-e-passado-no-coador-de-pano.
Vou celebrar um natal brasileiro-feito-de-saudade.
Se eu tiver sorte, a estrela de meu pai brilhará e eu farei alguns ponteados tupiniquins para lembrar os anjos de Belém.

Nenhum comentário: