288 - SOBRE NELSON RODRIGUES

A propósito do festival de teatro em Curitiba, quando Nelson Rodrigues sobe ao palco triunfalmente, reflito sobre o seguinte:
Além da descrença com o qual o “anjo pornográfico” subestima os valores essenciais da família, o que mais questiono nele é que em seus dramas a brutalidade dos fatos tem sempre a última palavra.

"Nem todas as mulheres gostam de apanhar, só as normais!"
"O lar é o mais cretino dos túmulos"
"Só o cinismo redime um casamento. É preciso muito cinismo para que um casal chegue às bodas de ouro."

Isso que ele chama de “A VIDA COMO ELA É ” chamo-a de morte.
Há um projeto de vida tatuado em nosso código genético.
É preciso construir " A VIDA COMO ELA DEVE SER”.
Sou dos que lutam por ela.

Nenhum comentário: