308 - SOBRE OS JARDINS DE MINHA ALDEIA

Meu avô era jardineiro na minha cidade.
O melhor que já houve.
Assim testemunham os ipês que, ainda hoje, colorem nossa aldeia.
Foi com ele que aprendi que podemos fazer os desertos florescer.
Também foi ele que me ensinou que os jardins mais belos e mais alegres são os que brotam em nossa alma deserta.
Há exatos 32 anos ele foi embora.
Foi no dia em que tive a "minha primeira experiência" com a dama-da-noite-astral.
Sempre que é outono, em meio à muita saudade, fico contemplando as pétalas voando nos ventos.
O cheiro de jasmim e suas cores de beleza me segredam que meu avô está por perto.
Coisa que fica mais evidente quando o Kauan, meu filho de 5 anos, me diz:" Papai, quando crescer, quero ser jardineiro".

Nenhum comentário: