316 - SOBRE UMA REAÇÃO INQUISITORIAL

Reverendíssimo:
Entendo Vossa indignação quanto ao último post do meu blog.
Ele trata sobre a morte de uma maneira ridente, irreverente...
E temas como este merecem sisudez e carranquices medievalescas.
Defensor que sois da reta doutrina, não vos resta alternativa que imitar o inquisidor do filme “O nome da Rosa” e me sentenciar como herege no Santo Ofício.
Compreendo vosso cuidado! Sois guardião das certezas eternas e etéreas!
Mas, com todo respeito, Eminentíssimo, não deveríeis gastar vosso precioso tempo em defender dogmas pétreos. Deveríeis, sim, difundir a reverência pela vida. Deveríeis, sim, espargir a santidade das cores que moram nos ventos.
Reafirmo , em qualquer Santo Ofício, minhas provisórias certezas:
1- no absolutismo da beleza;
2- na magistral libertação que emana do riso;
3- na consciência de que não é pelas ideias que seremos julgados e sim pelo amor que devemos a todos.
Quanto ao tratamento que empresto à morte, declaro-vos que, por vê-la companheira, diuturnamente, confesso que lhe devoto sempre o meu respeito na forma da mais séria manifestação que tenho, qual seja, meu riso.
Lembrai-vos Santidade, do dito dos monges antigos: “ridendo dicere severum” : "Rindo, dizer coisas sérias"!

(POST SCRIPTUM: Fala verdade, Reverendíssimo! Dize-nos com sinceridade , se o Senhor também não riu ao assistir o vídeo em tela... !!! ).

+ Saluti fratelli

Nenhum comentário: