317 - SOBRE UMA OUTRA PIETÁ

Longe dos shoppings e das badalações do dia das mães, nossa irmã-no-sangue-mesclado-de-todas-as-raças, Dona Geralda, 92 anos, vive seus dias de Pietá.
Ela tem um filho que, em casa e em estado terminal, espera para dar-nos seu último adeus.
Resistente e teimosa na vida, essa neta de escrava, pediu-me orações para que, o seu querido Adalberto, tenha uma passagem tranqüila, mansa, sem dores.
Ele, consciente de sua finitude, numa profissão de fé e sabedoria, ao lado da dona Geralda, confidenciou-me ainda essa semana:
“Meu pastor, nos braços dessa mãe, não tenho medo de morrer”.
A essa mãe-preta-do-serrado meu respeito por sentir de perto a experiência da mãe do Salvador.

Nenhum comentário: