371 - SOBRE AS LIÇÕES DAS DERROTAS

Meus leais e competentes camaradas vieram buscar palavras de conforto após a batalha perdida.
Nossas bandeiras, antes símbolos de exuberância, agora jaziam num canto qualquer.
O canto de guerra, antes revestido de glória, agora se transformava numa marcha fúnebre.
Muito trabalho... Muito engajamento... Sonhos de um mundo melhor... Mas, qual o que, nossos candidatos perderam!
Meus irmãos não quiseram perder a dignidade e me pediram para enxugar-lhes as lágrimas com minhas preces.
Busquei para eles, e para mim mesmo, as lições da natureza: “Senhor! Dá-nos a sabedoria das ondas do mar que, envolta em brumas, muitas vezes se recuam para poder avançar mais longe na praia”.
Depois lhes recitei as lições do Henfil: "se não houver frutos, valeu a beleza das flores, se não houver flores, valeu a sombra das folhas, se não houver folhas, valeu a intenção da semente".
Amassando nossos pães amargos da noite e retemperando nossas teimosas utopias das manhãs, concluímos todos que, entre perdas e ganhos, a vida tem sempre razão, mesmo quando não a entendemos.
Por isso...Adelante camaradas!

Nenhum comentário: