386 - SOBRE MEU AMIGO JONAS DEUS

Jonas Deus.
Esse era seu nome de pia.
Simplesmente Jonas Deus.
Professor da universidade, seus alunos o adoravam.
Tecladista de primeira grandeza, as noivas o disputavam para abrilhantar seus casamentos.
Tinha pressa de viver, pois além de afinadíssimo era safenadíssimo.
Trazia na face um riso cuja gargalhada parecia uma cachoeira de felicidade.
Brincava ao dizer que, por ser metalizado, era sempre barrado nas portas dos bancos ou nos portões dos aeroportos.
E foi também num aeroporto que viveu uma experiência extasiante que sempre contava aos amigos.
- Eu estava em Congonhas, perdido no horário, quando ouvi a voz sibilante, angelical e inconfundível da Iris Lettieri dizer:
- SENHOR DEUS, comparecer ao portão 7. "Foram meus melhores 15 segundos da vida".
Poucos dias depois que celebrei o casamento de seu filho Rafael, meu amigo atendeu literalmente, o "chamado definitivo".
Desta vez, para comparecer aos portais do paraíso. Desta vez para a viagem-do-sem-fim.
Jonas Deus foi morar com Deus.
Sua vida curta e bela nos foi como um "jazz-brincalhão" de Louis Armstrong.

Nenhum comentário: