411 - SOBRE A ETERNIDADE DO PODER

Poucas coisas são mais fascinantes que o poder.
A caneta que determina os rumos dos cifrões...
O séquito que acompanha quem tem o cetro..
Os holofotes, as hollywoodianas companhias, as agendas celebrizadas...
Que prazerosa a sensação da onipotência !
Nem Jesus esteve livre dessa tentação: “ Tudo isso te darei, se prostrado me adorares”...
Há até os que, tendo a sensação da brevidade da vida, impregnam seus nomes na pele de seus filhos, sugerindo que são imortais...
Dura coisa deve ser ficar longe do poder!
Para os que estão infectados pelo vírus da onipotência há belas mensagens terapêuticas :
A do Mestre Maior que nos ensina que : “Maior é aquele que serve”.
A dos sábios modernos que nos lembram que : “ nunca devemos perder a oportunidade de sairmos de cena na hora certa”
A dos clássicos românticos que nos segredam que : “ alguém só é eterno e poderoso quando mora na nossa saudade”.


Nenhum comentário: