499 - SOBRE TEMPOS DE PRIMAVERAS


Nesta propícia estação, quando teimosamente, os ipês insistem em primaverar os invernos de meus outonos, fiz dois pedidos ao Senhor dos tempos: Que o “meu tempo” nunca seja medido pelas batidas burocráticas do relógio, e que os “meus dias” sejam regidos pelas cantigas de um coração feliz. Se assim for, terei aprendido, nas quatro estações, que nunca devo esperar que alguém me traga flores mas que devo sim, plantar meus próprios jardins.

Nenhum comentário: